terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Nova Olinda: Procissão marca o fim das comemorações pelos 35 anos da paróquia de São Sebastião

 
Nesta terça-feira, 20, a Paróquia de São Sebastião de Nova Olinda reuniu cerca de 3 mil pessoas, a maioria adultos e idosos, para celebrar os seus 35 anos com uma procissão levando a imagem do padroeiro pelas principais ruas da cidade. O evento foi realizado às 18h. Antes, na matriz, foram celebradas duas missas em ação de graça.
Na primeira celebração, às 10h, o padre Edmilson Neves da Catedral do Crato presidiu uma missa solene que foi concelebrada pelo pároco Antônio Luiz e padre Sebastião Monteiro da comunidade Filhos Amados do Céu de Nova Olinda e também pelos padres George de Crato e Paulo Lemos de Santana do Cariri.


Por volta das 17h o padre José Adelino Martins Dantas da paróquia de São José do bairro Limoeiro de Juazeiro do Norte que já foi administrador paroquial de Nova Olinda entre os anos de 1998 a 2002 presidiu a celebração em preparação para a procissão com o andor de São Sebastião. O andor com a imagem do padroeiro foi decorado com folhas de samambaias, rosas brancas e vermelhas e botões de rosas vermelhas, além, de luzes de lede em cores vermelhas destacando o número 35 em referencia ao aniversário de criação da matriz, fundada em 1980.

 
A procissão marca também o encerramento da Festa do padroeiro que teve início no último dia 11 com o hasteamento da bandeira em frente a igreja matriz e depois se seguiram por 9 dias com as celebrações de missas, novenas, terços e ofícios. O ato final da festa também é marcado em frente à igreja matriz quando a bandeira com a imagem do padroeiro é retirada do alto do mastro logo após o final da procissão.

Autoridades religiosas como o padre Adelino Dantas e o pároco Antônio Luiz e autoridades civis como o prefeito Ronaldo Sampaio e lideranças como o ex-prefeito Afonso Sampaio acompanharam o cortejo que foi guiado pela irmandade do santíssimo sacramento, pertencente a paróquia, formada por idosos e jovens, e animada pela banda de música do município.
A fé e a devoção é sempre algo que marca a procissão ao ‘glorioso Mártir São Sebastião’ como o padroeiro é chamado pelos devotos. A festa tem várias décadas, mesmo antes da instituição da paróquia, e até hoje, atrai milhares de pessoas para levar o andor pelas ruas da cidade em manifestação da confiança em seu padroeiro.
Durante a celebração o pároco pediu aos fiéis que seguissem o exemplo do mártir São Sebastião que foi um apaixonado por Jesus Cristo e que deu a própria vida em nome da sua fé e do seu amor pelo filho de Deus “que sejamos, apaixonados por Cristo (Jesus Cristo) seguindo o exemplo do nosso mártir” disse.
Os pagadores de promessas
 
Muita gente faz o percurso com os pés descalços, uma forma de pagar suas promessas, já que usam a fé para fazer pedidos de intercessão ao santo, e quando são realizadas as súplicas, fazem esse sacrifício como forma de pagar a graça recebida com esse gesto de sacrifício. O próprio surgimento da então capela de São Sebastião decorre do pagamento de uma promessa.
História de fé e agradecimento
Descreve a história que no final do século XIX um morador da localidade, que à época chamava-se Tapera, conhecido como Bento Ferreira, mandou construir a capela em homenagem ao santo em agradecimento por sua família não haver sido acometida por um surto de cólera que se abateu sobre a região.
São Sebastião
O Santo foi um soldado romano que viveu no século 3 da era Cristã, e a partir de um determinado momento, se converteu ao cristianismo e, por conseguinte, começou a contrariar os interesses do Império Romano. 
Por essa razão, foi pressionado a abandonar a fé, porém se recusou, sendo julgado e condenado á morte. De acordo com relatos históricos, São Sebastião foi flechado, mas sobreviveu. Depois de descobrir que ele ainda vivia, o imperador Diocleciano ordenou aos soldados romanos que o prendessem e o executassem com flechadas, desta feita obtendo êxito. A imagem do santo descreve o momento em que ele foi morto pelos romanos, amarrado em uma árvore e com o corpo cravado por flechas.

 
 
 
 


 
 
 
 
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário