sexta-feira, 4 de maio de 2012

Lançamento da campanha contra gripe no Ceará acontece nesta sexta-feira

Com a meta de imunizar o mínimo de 80% de crianças menores de dois anos, de trabalhadores das unidades de saúde que fazem atendimento para gripe, de gestantes, de indígenas e de idosos a partir de 60 anos, que no Ceará somam 1.312.787 habitantes, é que se inicia neste sábado (5), Dia de Mobilização Nacional da Campanha de Vacinação contra Influenza 2012, a campanha contra a gripe no Estado. O lançamento será um dia antes. Nesta sexta-feira (4), às 8 horas, a Secretaria da Saúde do Estado e a Secretaria Municipal de Saúde farão o lançamento da campanha no Centro de Saúde Paulo Marcelo, na Rua 25 de Março, 607.

O objetivo é reduzir a mortalidade, as complicações e as internações por infecções pelo vírus da influenza na população que precisa de mais proteção.

Estudos demonstram que a vacinação contra influenza pode reduzir de 32% a 45% do número de hospitalizações por pneumonias, e de 39% a 75% da mortalidade global. Entre os residentes em lares de idosos, pode-se reduzir o risco de pneumonia em aproximadamente 60%, e o risco global de hospitalização e morte em cerca de 50% a 68%. A população alvo da campanha será imunizada com a vacina trivalente, que protege contra influenza B (gripe sazonal), influenza A (H3N2) e influenza A (H1N1).

A vacinação é anual devido à característica mutante dos vírus da influenza, que apresentam diversidade a cada ano. A vacinação de mulheres grávidas contra a influenza é segura em qualquer idade gestacional. A vacinação contra o vírus influenza em gestantes é uma estratégia eficaz de proteção para a mãe e o lactente. Estudo realizado demonstrou que os lactentes de mães vacinadas contra a influenza apresentaram menos casos da doença. Em adultos saudáveis, a detecção de anticorpos protetores se dá entre 2 a 3 semanas após a vacinação e apresenta, geralmente, duração de 6 a 12 meses. O pico máximo de anticorpos ocorre após 4 a 6 semanas, embora em idosos os níveis de anticorpos possam ser menores. A proteção conferida pela vacinação é de aproximadamente 1 ano, motivo pelo qual a vacinação é anual.

A vacina só não deve ser administrada em pessoas com história de alergia severa relacionada a ovo de galinha e seus derivados, assim como a qualquer componente da vacina, pessoas que apresentaram reações alérgicas graves a doses anteriores e portadores de doença. Em caso de doenças agudas febris moderadas ou graves, é recomendado adiar a vacinação até a melhora do quadro. Para pessoas com histórico de patologias neurológicas, tais como a Síndrome de Guillain-Barré (SGB), recomenda-se realizar avaliação médica criteriosa sobre o risco-benefício da vacina.

Um comentário:

  1. RANILSON PARABEMS PELO O SEU BLOG, MÁS COLOQUE MAIS NOTICIAS ATUAL. VALEU CARA.

    ResponderExcluir