quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Exército Brasileiro faz operação de segurança em Juazeiro e Crato

 

Mesmo com o fim da greve dos policiais militares e bombeiros do Ceará, após seis dias de paralisação, o Exército Brasileiro se encontra patrulhando as cidades de Juazeiro do Norte e Crato desde a noite de ontem depois que um clima de insegurança tomou conta da Região Metropilitana do Cariri – RMC, e os comércios de Juazeiro do Norte e Crato fecharam as portas mais cedo e inúmeras pessoas foram vítimas de assaltos. Em outros pontos da – RMC, como em Nova Olinda, a precaução fez com que alguns comércios funcionacem parcialmente, como no posto São Sebastião que fechou sua loja de conveniência no meio da tarde.

Diante desta situação uma tropa de 200 homens do comando da 10ª Região Militar localizado em Petrolina, Pernambuco, foram destacados para o Cariri sob o comando do capitão Ramiro, 130 homens atuam em Juaziero do Norte e 70 patrulham a cidade de Crato.

Ocorrências desta terça-feira

Com a paralisações dos policiais, bombeiros e batalhão de choque, os bandidos aproveitaram a vulnerabilidade na segurança para realizar arrastões e levar pânico a população. O Exército foi chamado e o governo chamou o comando de greve para negociar.

As negociações finais começaram ontem (3) à noite e foram concluídas na madrugada de hoje (04) para garantir que os policiais e bombeiros vóltem as atividades.

Capital e outras cidades do Ceará também registram arrastões

O município de Quixeramobim, Sertão Central, também registrou arrastão. Já na Capital, os bairros Conjunto Araturi, Bairro Bom Jardim, Parque São José, Morro do Santiago, na Barra do Ceará também registraram arrastões.

Fim da Greve

Após seis dias de paralisação, os policiais e bombeiros militares aceitaram a proposta do Governo e decidiram encerrar a greve na madrugada desta quarta-feira (4), durante reunião.

Representantes do Governo e manifestantes decidiram pelo fim da paralisação. Logo depois, a reunião foi suspensa para a escritura dos termos do acordo, que foi encaminhado ao governador Cid Gomes, e aprovado em seguida.

Estavam presentes na reunião o presidente da Associação de Cabos e Soldados, Flávio Sabino, o capitão Wagner Souza, o procurador geral do Estado, Fernando Oliveira, a defensora pública geral do Estado, Andréia Coelho, procuradora-geral de Justiça, Socorro França e o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil Ceará, Valdetário Monteiro.

Decisões

- Anistia aos militares;
- Reajuste salarial;
- Desconsideração das multas tanto para policiais como para as associações;
- Diminuição da carga-horária.

Os militares decretaram greve na última quinta-feira (29). A categoria reivindicava, dentre outros pedidos, reajuste salarial, melhor infraestrutura de trabalho e contratação de mais policiais para cobrir o efetivo

Nenhum comentário:

Postar um comentário