quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Nova Olinda: janeiro choveu 80% abaixo da média histórica


No município de Nova Olinda, desde o ano de 2012 que o mês de janeiro registra reduzidas chuvas, bem abaixo da média histórica que é de 137.1 milímetros (mm) acompanhando a redução de chuvas em todo o estado do Ceará quando choveu em média 32.6 mm, resultando em um desvio negativo de 66.9% no estado.

A cada ano a situação vem ficando ainda mais crítica em comparação com períodos anteriores.

Desde 2011 que não chove, no município, a cima da média. Naquele ano as precipitações foram 36.4 % a cima da média histórica, quando choveu 187.0 mm.

De lá para cá, as precipitações oscilaram sempre abaixo ou muito abaixo da média com desvio que superam a marca de 90% a menos de chuvas.

No primeiro mês do ano foram registradas somente duas precipitações, sendo uma de 22 mm e outra de 5 mm, nos dias 8 e 9, respectivamente. Desta forma o primeiro mês da quadra chuvosa de 2015 fechou com apenas 27.0 mm com desvio negativo de - 80.3%.

Apesar de ser um mês que a meteorologia classifica como pré-estação chuvosa, e que tradicionalmente chove menos do que os meses de fevereiro e março, a pouca pluviosidade contribuiu para agravar a crise de abastecimento de água dos reservatórios novo-olindenses.

O volume acumulado das reservas hídricas que é composta por 19 pequenos açudes está muito abaixo da capacidade e alguns estão completamente secos.
 
Esta situação coloca o município em situação de alerta. Até agora os açudes só perderam água e a terra permanece seca, impossibilitando até mesmo o preparo da terra para o plantio. O pasto nativo também está comprometido e os criadores temem que possa faltar água para os animais se não chover nos próximos dois meses.

De acordo com dados da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), desde 2012 que em janeiro vem chovendo abaixo da média. Neste ano, o mês bateu mais um recorde, ficando 80.3% abaixo da média para o período.

Em 2014 foram registrados 14.0mm (menos 89.8%); em 2013, foram observados 98.0mm (menos 28.5%); e em 2012, 54mm (menos 18.1%). A última vez que o mês de janeiro fechou a cima da média histórica foi no ano de 2011, quando foram observados 187.0mm  (a mais 36.4%).

A esperança dos agricultores e criadores está nos dados dos últimos três períodos de chuvas referentes aos meses de fevereiro e março, período em que, são esperadas as maiores precipitações. As médias históricas correspondem a 179 mm de fevereiro e 210.7 mm de março.

Desta forma, apesar de ter chovido abaixo da média nos anos de 2012, 2013 e 2014, nestes dois meses as chuvas tem sido suficientes pelo menos para reabastecer os reservatórios e para permitir o nascimento das pastagens para alimentar aos animais.

Os dados da Funceme registraram no ano de 2012 172.0mm (menos 4.4%) em fevereiro; e 101.0mm (menos 52.1%) em março.

Em 2013, foram observados  151.0mm (menos 16.1%) em fevereiro; e 109.0mm (menos 48.3%) em março.

No ano passado, foram registrados 174.0mm (menos 3.3%) em fevereiro. Já no mês de março foram observados 281.0mm com acréscimo de (mais 33.4%) acima da média.

Esses dados demonstram que os dois últimos meses do primeiro trimestre são os melhores em termos de volumes hídricos e que, março, se configura como o mês das águas.

Mas as previsões da Funceme para o período não são animadoras. De acordo com o último prognóstico divulgado pelo órgão, no mês passado, estimando a quadra chuvosa do primeiro trimestre de 2015 a possibilidade das precipitações deste ano estarem na média considerada normal é de 27%; já a chance de o ano ser chuvoso é de apenas 9%. A análise revela uma grande chance de o Estado entrar no quarto ano consecutivo de estiagem, reforçando a gravidade do panorama da seca no Ceará.

Hoje foi registrada a primeira chuva do ano neste mês de fevereiro, segundo o posto de coleta da Funceme em Nova Olinda. A chuva desta manhã foi de 7.7mm.

Nova Olinda: mais de 400 famílias moram em casas de taipa


De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE-Censo 2010) 436 famílias moram em casas de taipa no município de Nova Olinda. A maioria dessas residências está na zona rural do município, totalizando 341 imóveis. Outras 95 casas de taipa estão na zona urbana. O órgão revelou também que em 58 destes domicílios as paredes externas das casas não são revestidas, quando não apresentam nem um tipo de emboço, reboco ou chapisco, tornando esse tipo de moradia ainda mais inseguro e precário.
 

A Casa de taipa têm paredes levantadas com barro e varas retiradas de árvores. A estrutura é escorada por estacas fincadas em suas extremidades externas e internas que funcionam como colunas de sustentação. Os telhados são feitos de palha, lonas plásticas ou com as próprias varas e telha comum.

Esse tipo de moradia é antigo e muitas perduram por gerações numa mesma família. Quanto mais antigo, torna-se mais inseguro esse tipo de construção. O período de chuvas com ventos fortes denunciam ainda mais a fragilidade das casas de taipa e muitas ameaçam desabar diante da precariedade delas.

Aos 40 anos de idade, Maria Jesus da Silva (Dos Anjos), não reside numa casa de alvenaria (tijolos). Com o marido, Welisson dos Santos, 27 anos, e três filhos menores, entre eles dois bebês, um menino de 1 ano e seis meses e uma menina de 27 dias de vida (na foto), ela integra uma das mais de 90 mil famílias cearenses que vivem nesse tipo de moradia conforme o IBGE.

A casa da dona ‘dos anjos’ fica no sítio zabelê, distante cerca de 12 km da sede do município onde falta além da moradia, energia elétrica, água potável e mesmo uma estrada para chegar até lá.

Somente por um caminho estreito entre o matagal da floresta da Serra do Araripe medindo 300 metros de extensão a partir da única estrada vicinal que dar acesso ao local até a moradia da família ‘dos anjos’ é que se chega ao terreiro de barro batido para encontrar o imóvel rústico que denuncia a miséria de quem vive ali.

São 3 cômodos caprichosamente divididos em sala, cozinha e quarto, numa tentativa da família de erguer uma casa digna, no entanto, a falta de recursos financeiros inviabilizou o empreendimento familiar construído com as próprias mãos do casal.

Em uma parede ainda foi possível levar um pouco de barro conseguido ali mesmo próximo a casa em tempos de chuvas, mas, nem o tempo ajudou e a obra parou.

Como a região enfrenta uma seca que já entrou para 4 anos consecutivos somente uma meia parede foi completada com o barro. As demais foram revestidas somente de varas de madeira da região e de restos de sacos plásticos do tipo “estopa” recolhidos do lixo de uma indústria de gesso da cidade e que ameniza a entrada de sol durante o dia e dos ventos à noite. O teto também está incompleto. Somente a parte do cômodo destinado ao quarto e parte do que era pra ser uma sala de visitas recebeu telhas comuns. O restante da moradia está a céu aberto. O piso é de chão batido e as portas e janelas simplesmente não existem.

Assim, os animais, domésticos ou não, tem trânsito livre a qualquer hora do dia ou da noite, pela casa, junto aos moradores tornando ainda mais tensa e perigosa a vida dessa família devido a proximidade com a fauna silvestre da Floresta Nacional do Araripe aonde vivem espécies carnívoras como onças e venenosas como cobras, obrigando os adultos e, principalmente, as crianças a conviver com esse perigo porque lhes falta um abrigo, no mínimo, seguro.

E não bastasse a precariedade da casa de taipa, ela não tem banheiro, nem fossa séptica e, por isso, as necessidades fisiológicas de todos os membros da família são feitas no mato sem nenhuma higiene, nem privacidade.

Para piorar a situação até mesmo água, que é o bem mais precioso para o ser humano, falta à família. Não existe rede de distribuição de água, e nem mesmo, há uma cisterna para acumular a água da chuva ou de carro pipa.

Em geral a construção de uma casa de taipa não segue critérios técnicos, nem normas de segurança adequada para ser erguida, e por isso é insegura.

As casas de taipa têm paredes de barro, sustentadas por estacas e não oferecem condições adequadas de moradia, segundo arquitetos. Além disso, de acordo com a Fundação Nacional de Saúde – FUNASA, as rachaduras e brechas deixadas pelas camadas de barro usado na construção dessas casas podem servir de abrigo para o barbeiro, inseto causador da doença de chagas, causando também um problema de saúde pública.

A família ‘dos anjos’ faz parte dos mais de 10 milhões de brasileiros que vivem na linha da extrema pobreza segundo os dados divulgados no fim do ano passado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - PNAD, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE, PNAD 2013).

O levantamento do IPEA define diferentes valores para a linha de extrema pobreza em 24 regiões do país. Cada área tem uma faixa mínima de renda abaixo da qual se caracteriza situação de miséria. Os cálculos do IPEA levam em conta os parâmetros do Programa Brasil Sem Miséria, do governo federal que estabelece em R$ 77 per capita por mês a renda que define se uma pessoa está na linha de extrema pobreza.

Segundo o pastor Márcio Muniz da igreja Ação Evangélica – ACEV, a renda familiar dos ‘dos anjos’ é de R$ 120 por mês oriundos do Programa Bolsa Família.

Seguindo os mesmos parâmetros adotados pelo IPEA para definir o limite da extrema pobreza, a renda per capita por mês dessa família é de R$ 30. Isto os coloca na desconfortável situação social de miseráveis, vivendo abaixo da linha da pobreza, ou para usar um termo menos agressivo do ponto de vista humano, eles são extremamente pobres. 

Com somente R$ 30 mensais para a sobrevivência de cada um dos membros da sua família os “dos anjos” estão aquém do que determina os critérios da Organização Mundial de Saúde (OMS) e da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) em uma estimativa do valor de uma cesta de alimentos com o mínimo de calorias necessárias para suprir adequadamente uma pessoa que é de no mínimo R$ 70 segundo as duas organizações com dados de 2014.

Sensibilizados com essa situação de risco em que vive a família da senhora “dos Anjos” a igreja ACEV através do projeto Vem Viver de Nova Olinda, lançaram uma campanha para a construção de uma casa de alvenaria para a família e a arrecadação de donativos como bens e utensílios móveis, além, de conseguir viabilizar para a futura casa a energia elétrica, cisterna para guardar água e uma estrada de acesso.

A Rádio Nova Olinda FM também resolveu ajudar por meio do programa Grande Jornal FM Notícia e está promovendo uma campanha para a arrecadação, por meio de doações voluntárias, de material de construção e de mão de obra especializada.

Quem quiser colaborar deve ligar para a emissora nos telefones 88 35461160 e 88 (TIM) 9782 8029 e 88 9300 5161 (CLARO).


Saiba mais

Há duas subdivisões básicas de casas de taipa: as revestidas e as não revestidas. É revestida quando as paredes externas são feitas de barro ou cal com estacas e varas de madeira com revestimento (emboço, reboco, chapisco).

Já a taipa não revestida caracteriza-se quando paredes externas são feitas de barro ou de cal e areia com estacas e varas de madeira sem revestimento (emboço, reboco, chapisco).

domingo, 1 de fevereiro de 2015

NOVO-OLINDENSE É NOMEADO PARA A PRESIDÊNCIA DO FNDE


O engenheiro civil novo-olindense, Antônio Idilvan de Lima Alencar (foto), 46 anos, foi nomeado pelo ministro da Educação, Cid Gomes, para o cargo de Presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Idilvan Alencar, atualmente ocupa o cargo de secretário-executivo da Secretaria da Educação básica do Ceará, aceitou a nova missão. A nomeação deve sair no Diário Oficial da União desta terça-feira, dia 3. O novo presidente já está em Brasília assumindo a chefia do órgão.
O FNDE é uma autarquia federal ligada ao Ministério da Educação (MEC), encarregada da execução de políticas educacionais do MEC como os programas de Alimentação Escolar, Livro Didático, Dinheiro Direto na Escola, Biblioteca da Escola, Transporte do Escolar, Caminho da Escola, Reestruturação e Aquisição de Equipamentos para a Rede Escolar Pública de Educação Infantil – que fazem do FNDE uma instituição de referência na Educação Brasileira. E se tornou, nos últimos anos, o maior parceiro dos 26 estados, dos 5.565 municípios e do Distrito Federal, para o financiamento da educação pública no Brasil.
Desde que assumiu o comando do ministério da educação, no início do mês, Cid Gomes, anunciou que vai implantar um jeito de governar com metas definidas e que pretende fomentar nos estados políticas públicas de resultados com foco no rendimento escolar, buscando, a melhoria da relação ensino-aprendizagem, sobretudo, no ensino médio que segundo o novo ministro “está defasado” e “longe do ideal” e ao ponderar que 'melhorar é preciso' o ex-governador do Ceará aposta que uma dessas mudanças fundamentais está na ‘adequação dos currículos nacionais’ e no amadurecimento do ‘pacto nacional pela alfabetização na idade certa’ que foi inspirado em um programa estadual do seu governo no estado, o PAIC - Programa de Alfabetização na Idade Certa, e que teve a participação efetiva do presidente nomeado  do FNDE enquanto secretário executivo da SEDUC no Ceará durante os últimos 8 anos, período em que, a educação no estado, obteve o maior crescimento qualitativo com a instituição do Sistema Permanente de Avaliação da Educação Básica do Ceará (SPAECE) que faz um acompanhamento constante de todas as escolas públicas do estado, seja das redes municipais ou estaduais, avaliando os alunos da educação básica desde o ensino fundamental até o ensino médio.  O resultado é que o sistema permite aos governantes um melhor conhecimento da realidade de cada escola. E a cada escola, a conhecer melhor o desempenho de cada um dos seus alunos, tendo como foco a busca da melhoria do rendimento escolar.

Esta experiência administrativa e a boa relação de amizade existente entre o atual ministro do MEC e o agora presidente do FNDE podem ser decisivas para os desafios que o governo da presidenta Dilma Rousseff (PT) tem de enfrentar nos próximos anos que são aproximar as contas, aonde os resultados positivos da educação acompanhem os aumentos dos investimentos, coisa que nos últimos anos não tem acontecido.
A nomeação do conterrâneo Idilvan Alencar para o comando do FNDE que é o principal interlocutor do MEC com os estados e municípios é uma demonstração de que o Cid Gomes está com liberdade política para montar a sua equipe e poder governar ao lado de pessoas competentes sem a ingerência política que é peculiar em Brasília. Assim, o novo ministro ficará a vontade para não só desenvolver os programas e projetos que já são tradicionalmente da responsabilidade do MEC, mas, poderá também fazer as inovações necessárias com segurança técnica e politica, já que atuará ao lado de pessoas com o reconhecido gabarito profissional e da sua inteira confiança política como é o caso do presidente nomeado do FNDE.

Cid Gomes ainda terá de nomear outros titulares também importantes para o núcleo gestor do MEC como das Secretarias da Educação Superior, Educação continuada e Regulação e Supervisão, que ainda são ocupadas por interinos.

O novo presidente do FNDE ainda não se pronunciou oficialmente sobre a sua nomeação, aguarda a publicação no diário oficial, somente para o cumprimento dos protocolos. Ele é natural de Nova Olinda, cidadezinha de 15 mil habitantes, fincada no sopé da serra do Araripe a 560 km de Fortaleza, foi fundada pelo seu avô Antônio Jeremias Pereira no ano de 1957. Estudou o primário (Do 1º ao 5º anos do ensino fundamental) na Escola Padre Luís Filgueiras, pertencente à rede estadual de ensino, entidade da qual a sua mãe a professora Vicência Pereira de Lima Alencar foi sua primeira diretora.
 
Apesar da sua graduação em Engenharia Civil pela UNIFOR, os valores e as missões do ambiente escolar sempre estiveram ao lado dele desde a infância tendo a mãe como referencia do esforço humano que é preciso para a gestão escolar tendo de combinar sempre o ideal com o possível, linha   tênue que separa o planejamento e a execução de metas.
 
Mas, isso parece não ser barreira para o atual presidente do FNDE que atualmente está concluindo o estudo de mestrado em Gestão e Avaliação da Educação pela Universidade Federal de Juiz de Fora, Minas Gerais. O mesmo é especialista em Política, Administração e Marketing pela Fundação Getúlio Vargas - FGV, tendo atuado como Coordenador da Arrecadação Estadual, entre os anos de 2001 a 2003 quando, no período, foi o auditor da Secretaria da Fazenda do Estado do Ceará.
 
Entre 2003 a 2006, na Secretaria de Planejamento do Estado do Ceará, Idilvan Alencar, integrou a equipe de coordenação que culminou com a Reestruturação e Redesenho de Processo das Secretarias Estaduais de Saúde, Educação, Fazenda, Ação Social, Justiça e Segurança Pública, permitindo uma reorganização do organograma administrativo do estado do Ceará com foco no aumento das receitas e na redução de gastos do estado, e por consequência, na melhoria da capacidade de investimento do estado.
 
No ano de 2005, como assessor de Projetos Especiais junto a Secretaria da Fazenda do Amapá, atuou na reestruturação das Secretarias de Administração, Fazenda e Planejamento daquele estado. E de janeiro de 2007 a abril de 2014, exerceu o cargo de Secretário Executivo da Educação do Estado do Ceará. Desde então, foi promovido a Secretário Adjunto da Educação do Estado do Ceará, cargo que ocupou até janeiro deste ano, sendo esta até aqui a sua experiência mais complexa no ramo da gestão pública, ao mesmo tempo, pelas oportunidades e dificuldades que o cargo em comissão oferece.
 
A partir de agora saberemos, do que será capaz esse novo-olindense do cariri cearense diante de tantos outros desafios que a vida de presidente do FNDE lhe reserva ao reescrever sua biografia.   
 
 

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Prefeita entrega quites com vestuário e calçados para famílias carentes


SANTANA DO CARIRI: A prefeita Daniele de Abreu Machado (PSL) realizou, ontem, na localidade de Sítio Ponta da Serra, na zona rural deste município, a primeira ação social promovida pela Secretaria Municipal de Assistência Social para distribuir cerca de 500 (quinhentos) quites a famílias carentes residentes na própria localidade e nos sítios Tatajuba, Bonito e Descoberto. O evento foi realizado a partir das 16 horas na casa do senhor Edevaldo Gomes. Os quites constam de roupas de frios, bonés, chinelos, sapatos, carteiras masculinas e femininas, bolsas, óculos de sol e mochilas. Os brindes foram doados pela empresa G.M.S. LTDA, representante no Brasil da empresa bílabonia que é do seguimento de vestuários e calçados sediada no Estado de São Paulo, patrocinador do atleta Gabriel Medina, atual campeão mundial de surfe em ondas altas do Havaí, nos Estados Unidos.     

A prefeita afirmou, na abertura do evento, que esta foi uma grande conquista para as famílias carentes de Santana do Cariri, e destacou que o valor total dos quites a serem distribuídos é de cerca de meio milhão de reais em peças novas e de boa qualidade e “vai beneficiar as pessoas mais carentes do nosso município, conforme levantamento feito pelo CRAS (Centro de Referencia em Assistência Social) que levou em conta, na seleção dos beneficiários, a questão da baixa renda e da necessidade das famílias” disse. Ela acrescentou ainda, que, do mesmo modo todas as ações do seu governo estão voltadas para os mais pobres, os mais carentes do município.

A administração municipal pretende realizar outras ações como esta em outras localidades até atender a toda a população carente do município. O próximo ‘ação social’ já está marcado. Em entrevista coletiva, ainda no local do evento, a prefeita Daniele antecipou que a Vila do Distrito de Brejo Grande será a sede do próximo evento em data ainda a ser definida, mas garantiu que a entrega acontecerá o quanto antes para que os brindes cheguem logo às mãos de quem mais precisa.
 
A dona de casa Antonilda Martins da Paixão, 24 anos, residente no sítio Tatajuba, foi uma das contempladas com um quite contendo um vestido, um boné e uma mochila. Ela agradeceu pelo presente dizendo que estava muito feliz com o vestido que recebeu e garantiu que estava ansiosa para entregar o boné ao esposo José Viana de Sousa e a mochila ao filho Guilherme de 6 anos de idade.

A solenidade foi bastante prestigiada pelos moradores do sítio Ponta da Serra e de comunidades circunvizinhas, além de autoridades como os secretários municipais de governo, Edivan Pereira; do Trabalho e Desenvolvimento, Helena Dias; Obras, Antônio Alves; Ana Cisnando, Meio Ambiente; Marcos Welington, Esportes e Maurício Matos da Cultura. O vereador João Cabral (PT), líder da prefeita no poder legislativo, representou o poder legislativo. Em sua fala, a prefeita justificou a ausência da secretária de Assistência Social, Ana de Abreu Machado, que estava acompanhando o filho menor no hospital acometido de catapora.

O vereador João Cabral ressaltou que as famílias contempladas foram devidamente cadastradas pela secretaria de assistência social e “que foi feita uma triagem a qual permitiu priorizar quem mais precisa diante de tanta carência que existe no município” contou e destacou que a administração vai prestar contas com a G.S.M. Brasil, empresa doadora, ”para que no próximo ano possamos tentar conseguir mais doações” disse, afirmando, que isso só foi possível este ano graças ao empenho da prefeita junto a secretaria de Assistência Social do Estado  e ainda ressaltou que no estado do Ceará, o município de Santana do Cariri, foi o único beneficiado.

Texto e Fotos: Ranilson Silva 

 

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Nova Olinda: Procissão marca o fim das comemorações pelos 35 anos da paróquia de São Sebastião

 
Nesta terça-feira, 20, a Paróquia de São Sebastião de Nova Olinda reuniu cerca de 3 mil pessoas, a maioria adultos e idosos, para celebrar os seus 35 anos com uma procissão levando a imagem do padroeiro pelas principais ruas da cidade. O evento foi realizado às 18h. Antes, na matriz, foram celebradas duas missas em ação de graça.
Na primeira celebração, às 10h, o padre Edmilson Neves da Catedral do Crato presidiu uma missa solene que foi concelebrada pelo pároco Antônio Luiz e padre Sebastião Monteiro da comunidade Filhos Amados do Céu de Nova Olinda e também pelos padres George de Crato e Paulo Lemos de Santana do Cariri.


Por volta das 17h o padre José Adelino Martins Dantas da paróquia de São José do bairro Limoeiro de Juazeiro do Norte que já foi administrador paroquial de Nova Olinda entre os anos de 1998 a 2002 presidiu a celebração em preparação para a procissão com o andor de São Sebastião. O andor com a imagem do padroeiro foi decorado com folhas de samambaias, rosas brancas e vermelhas e botões de rosas vermelhas, além, de luzes de lede em cores vermelhas destacando o número 35 em referencia ao aniversário de criação da matriz, fundada em 1980.

 
A procissão marca também o encerramento da Festa do padroeiro que teve início no último dia 11 com o hasteamento da bandeira em frente a igreja matriz e depois se seguiram por 9 dias com as celebrações de missas, novenas, terços e ofícios. O ato final da festa também é marcado em frente à igreja matriz quando a bandeira com a imagem do padroeiro é retirada do alto do mastro logo após o final da procissão.

Autoridades religiosas como o padre Adelino Dantas e o pároco Antônio Luiz e autoridades civis como o prefeito Ronaldo Sampaio e lideranças como o ex-prefeito Afonso Sampaio acompanharam o cortejo que foi guiado pela irmandade do santíssimo sacramento, pertencente a paróquia, formada por idosos e jovens, e animada pela banda de música do município.
A fé e a devoção é sempre algo que marca a procissão ao ‘glorioso Mártir São Sebastião’ como o padroeiro é chamado pelos devotos. A festa tem várias décadas, mesmo antes da instituição da paróquia, e até hoje, atrai milhares de pessoas para levar o andor pelas ruas da cidade em manifestação da confiança em seu padroeiro.
Durante a celebração o pároco pediu aos fiéis que seguissem o exemplo do mártir São Sebastião que foi um apaixonado por Jesus Cristo e que deu a própria vida em nome da sua fé e do seu amor pelo filho de Deus “que sejamos, apaixonados por Cristo (Jesus Cristo) seguindo o exemplo do nosso mártir” disse.
Os pagadores de promessas
 
Muita gente faz o percurso com os pés descalços, uma forma de pagar suas promessas, já que usam a fé para fazer pedidos de intercessão ao santo, e quando são realizadas as súplicas, fazem esse sacrifício como forma de pagar a graça recebida com esse gesto de sacrifício. O próprio surgimento da então capela de São Sebastião decorre do pagamento de uma promessa.
História de fé e agradecimento
Descreve a história que no final do século XIX um morador da localidade, que à época chamava-se Tapera, conhecido como Bento Ferreira, mandou construir a capela em homenagem ao santo em agradecimento por sua família não haver sido acometida por um surto de cólera que se abateu sobre a região.
São Sebastião
O Santo foi um soldado romano que viveu no século 3 da era Cristã, e a partir de um determinado momento, se converteu ao cristianismo e, por conseguinte, começou a contrariar os interesses do Império Romano. 
Por essa razão, foi pressionado a abandonar a fé, porém se recusou, sendo julgado e condenado á morte. De acordo com relatos históricos, São Sebastião foi flechado, mas sobreviveu. Depois de descobrir que ele ainda vivia, o imperador Diocleciano ordenou aos soldados romanos que o prendessem e o executassem com flechadas, desta feita obtendo êxito. A imagem do santo descreve o momento em que ele foi morto pelos romanos, amarrado em uma árvore e com o corpo cravado por flechas.

 
 
 
 


 
 
 
 
 
 
 

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Paróquia de São Sebastião completa 35 anos com a reforma geral do templo



A comunidade católica de Nova Olinda está em festa. No próximo dia 20 de janeiro a Paróquia de São Sebastião completará 35 anos de sua criação. Uma programação especial está programada dentro da festa do padroeiro de 11 a 20 deste mês com a realização de várias missas em ação de graça presididas por padres das diversas paróquias da diocese e pelo bispo de Crato, Dom Fernando Pânico.

As festividades religiosas são organizadas pelo padre Antônio Luiz do Nascimento, que é o pároco.

Vida paroquial

A Paróquia Mártir São Sebastião foi criada em 20 de janeiro 1980 pelo então bispo da Diocese de Crato, Dom Vicente Matos. O primeiro vigário paroquial foi o padre Raimundo Araújo Silva que tomou posse em 10 de fevereiro do mesmo ano e ficou a frente da matriz por 3 anos.

A comunidade inicialmente pertencia a Capela São Sebastião, mantida pela igreja matriz de Senhora Santana de Santana do Cariri que à época tinha como pároco o padre Neri Feitosa. Com o crescimento do número de fiéis, foi edificada a igreja matriz.

O padre Raimundo Araújo Silva administraria a paróquia por outras duas vezes. Veja a lista completa dos padres que ficaram a frente da paróquia nesses 35 anos.

1980 - Raimundo Araújo Silva

1984 – Manoel Pereira Bezerra

1985 - Raimundo Araújo Silva

1986 – Cicero gomes da Silva

1989 – Francisco Jeremias Saraiva Teles

1992 – Expedito Félix da Fonseca

1992 – Raimundo Araújo Silva

1993 – Vileci Basílio Vidal

1997 – Elias Ribeiro Neto

1998 – José Adelino Martins Dantas

2003 – Antônio Afonso Alves

2009 – Tarcísio de Sales

20014 – Antônio Luiz do Nascimento
 

Reforma do templo

 
Há um ano a frente da paróquia o administrador paroquial Antônio Luiz do Nascimento promoveu a maior reforma física no prédio da matriz dos últimos tempos indo além da pintura e construindo novos ambientes como a sacristia e recuperando os altares. A iluminação da torre e da cruz no alto da matriz se destacam na reforma a noite, pois, estavam apagadas há mais de vinte anos e voltaram a iluminar o ambiente externo da matriz. 

Altar Central
Altar do Senhor Morto
 


 
Vista interna



sexta-feira, 7 de novembro de 2014

16ª Mostra SESC de Culturas traz Geraldo Azevedo e outros 10 espetáculos para Nova Olinda

Em sua 16ª edição a Mostra SESC Cariri de Culturas trás para a cidade de Nova Olinda uma dezena de espetáculos artísticos-culturais a partir de hoje até o próximo dia 12 com destaque para a apresentação do cantor Geraldo Azevedo com a participação de Chambinho do Acordeon durante a solenidade de abertura do evento no largo Welingnton Belém ao lado do Teatro Violeta Arrais. O ato está previsto para acontecer a partir das 19 horas. A Mostra Cariri reúne um conjunto de artistas e grupos nacionais das mais variadas manifestações como a dança, literatura, música, artes visuais, audiovisual, artes cênicas e a cultura popular.Todos os anos são montados espaços em cidades polos por todo o Cariri para as apresentações. Nesta edição as apresentações irão acontecer simultaneamente em Nova Olinda, Crato, Juazeiro do Norte e Barbalha. 

Em Nova Olinda, os espetáculos estão programados para ocorrer nos turnos manhã e tarde conforme a programação que segue:

Slide1    

O destaque para a abertura de hoje à noite sem dúvidas é para o compositor, cantor e violonista pernambucano Geraldo Azevedo que tem 50 anos de carreira sendo um dos grandes nomes da MPB. Em seu repertório, provavelmente, hoje não vai faltar "Dia Branco" e "Táxi Lunar", que são pérolas da sua vasta criação artística. 
  
Outra atração de peso nacional que se apresenta hoje em Nova Olinda ao lado do Geraldo Azevedo é Nivaldo Expedito de Carvalho, compositor, cantor, instrumentista  e ator, que se projetou nacional e internacionalmente ao protagonizar o filme "Gonzaga - De pai pra Filho", como o Chambinho do Acordeon.

O evento é uma promoção do Serviço Social do Comércio - SESC com apoio da prefeitura Municipal de Nova Olinda.